Todos nós sabemos o que é lixo! As lixeiras que há por esse país fora, nos caminhos, nas estradas, nos rios ... em todo o lado. Mas isso é um mal do mundo. Eu, ainda sou do tempo em que os homens diziam coisas, por dizer. Lembro-me, no Niassa (barco), o Comandante Militar dizer-nos que não queria lixo, cascas de fruta no convés do navio, que a deitássemos para o mar, porque o mar absorvia tudo!

 

Recordo-me de vários tipos de lixo que, com a caminhada do falso desenvolvimento económico, apareceram por aí. Hoje, há mares, segundo os especialistas, com milhares de km2 (sim, quilómetros quadrados de lixo a boiar), onde a vida, é sinónimo de morte! Há milhares (milhões) de animais marinhos que estão a morrer asfixiados em mares de plástico. Caminho entre os meus amigos, os peludos, os penudos, os escamudos, os ..., e lembro-me desses que morrem sem respirar pela caminhada terrível que o homem (na sua generalidade) lhe impõe. São diversos tipos de lixo!

Mas, tenho descoberto, ultimamente, que há lixos que nem passam pela cabeça, à maioria dos simples mortais!

 

Lixo, pois!

Traduzido à moderna, pelo Ventor, há lixos e "lixos", mas há um lixo muito maior que nós, lixos humanos, nem sonhamos com eles, mas eles estão sempre presentes nas nossas caminhadas! É o lixo dos párias"!

Sim, porque há lixo e há párias, piores que lixo!

 

Estou-me a recordar de um determinado tipo de cidadãos que se fazem passar por gente muito importante porque trabalham em "importantes instituições" mas, não passam de simples caixotes de lixo e, para sua ressalva, pretendem transformar outros em lixo! Esses cidadãos a que me refiro, são isso mesmo. Caixotes ambulantes! Eles caminham em corredores de alcatifas, douradas, prateadas, vermelhas, verdes, azuis ... Eles são, depois de engravatados, os parasitas das sociedades modernas. Não digo isto por usarem as gravatas, no trabalho, nos casamentos, nos baptizados, ... mas porque lhe exigem que tragam a gravata no trabalho! Eu, quase sempre usei a gravata no trabalho, mas nunca me exigiram isso. Sempre fui livre de usar o que me apetecesse e sempre utiizei gravata ou não, conforme as circusntancias!

 

Mas eu sei que, esses a que me refiro, no trabalho, eles nem sabem que fazer à gravata! Transpiram para a tirar mas não podem, senão, os chefes hierárquicos colocam esses caixotes de lixo num plano inclinado, prendem a gravata num pionés e morrem enforcados. Sim, porque esses chefes, não querem ninguém que seja maior lixo que eles! Esses paus mandados andam aí para isso! Para satisfazer os sapos que lhes pagam, os patrões da Moodys, da Standard&Poors e outras. São eles, as cobaias desses senhores que comandam, sem saber como, os destinos do mundo financeiro. São eles que enchem e esvaziam os caixotes do lixo, Ai senão! São eles, que fazem subir e descer o ouro! São eles que fazem descer e subir as acções! São eles que tentam enfiar os povos, com dignidade, nos seus inventados caixotes de lixo. Mas eu nunca seria capaz de pertencer a essa cambada! Nunca na vida, alinhei com f.d.p.

 

Voltarei ao tema.

***********************



Sei que não há homens perfeitos mas, também sei que há uns mais perfeitos que outros. Sempre admirei Abraham Lincoln e, a sua casinha de madeira, por tudo que li sobre ele. Achava, noutros tempos, que ele seria um bom Rei do Mundo

tags:
publicado por Ventor às 22:13