Todos ficamos a saber que, no sábado passado se iria realizar, em Alcobaça, creio que no Mosteiro de Alcobaça, um Conselho de Ministros Extraordinário. Pois seria, Extraordinário!

 

Ora, um Conselho de Ministros Extraordinário, pressupõe, sempre, algo de extraordinário. Por exemplo: alguém ter caído da cadeira e ter de ser substituído nem que fosse pelo meu gato - o Pilantras. Se calhar faria o mesmo trabalho! Como nada disso aconteceu e não ficamos a saber de qualquer outro acontecimento, não sei porque foi extraordinário e muito menos porquê, tão longe. Esta malta política faz tudo para me manter um sorriso de escárnio no rosto.

 

 

Inês de castro, jaz em Aljubarrota

 

Estou farto de matutar que não será para me darem um sorriso desses. Não acredito! Mas alguma razão deve ter havido!

Será que foram pedir ajuda às almas dos monges de Cluny para os iluminar nesta saga austera de conseguirmos manter a Lusitanidade? Nem os monges massacrados, em 1195, pelos árabes vindos de Marrocos, quando aqueles construíam o Convento ... Não creio que os monges se fossem preocupar com isso, agora que devem manter, lá por cima, as almas sossegadas.

 

 

Foi por vícios da política que ela foi assassinada. Ela perante os algozes

 

Contar se os cêntimos que tinham nos bolsos daria para pagar o subsídio de férias que tanto jeito daria a tanta gente? Também não acredito a não ser que, para já, tentassem recuperar os subsídios já pagos por algumas instituições que, por pena ou por interesses políticos, nos votos futuros, sabendo que vinha mais um decreto desmiolado, com retroactividade desde Janeiro, para sacarem, as massas tão desejadas. Até o meu gato tapou os olhos com as patas para não ver o que eu escrevo e tenta tapar os ouvidos com as outras duas para não ouvir o que eu digo.  

 

Mas então que terá acontecido?

Será porque está em voga falar-se do xisto betuminoso (rocha sedimentar de grão fino) e a área de Alcobaça-Batalha, também está em voga quanto à existência dessas jazidas?

Mesmo assim, aposto que, deslocando-se essa "tropilha" toda para Alcobaça, para estar mais perto e, com o filing do cheiro do xisto betuminoso, dos seus arredores, com mapas das jazidas sobre a mesa de pedra da cozinha dos monges, explicações de especialistas, por meios audiovisuais e ferramentas quebra-xistos, mesmo à mão, eles não ficariam a saber mais do que eu! Para isso, não necessitavam de se deslocar da área de Lisboa! Mesmo se quisessem saber se as nossas reservas de xisto betuminoso era superior às reservas da Senhora Merkel, não precisavam de se deslocar lá porque, por enquanto, tudo não passa de possibilidades avulsas!

 

 

Claustros do Mosteiro de Alcobaça

 

Se foram para fazer uma visita turística ao Convento de Alcobaça, podiam ser mais discretos. Metiam-se nos "vossos carrinhos", pediam uma planta do Convento e não precisavam de se escudar com o pomposo título de Conselho de Ministros Extraordinário. Se não foi assim, para evitar que qualquer fala-barato como eu, invente coisas que a nossa amiga Fátima Campos Ferreira possa levar para os Prós e Contras procurando alguma explicação.

 

Vá, digam  cá ao Zé Povinho, que ninguém nos ouve, que foram fazer a Alcobaça? Parece que agora têm aí um ministro que sabe explicar bem essas coisas! Ou será que não sabe? Ou não pode?

 

Bem, mas ... "quem passa por Alcobaça" ...

***********************



Sei que não há homens perfeitos mas, também sei que há uns mais perfeitos que outros. Sempre admirei Abraham Lincoln e, a sua casinha de madeira, por tudo que li sobre ele. Achava, noutros tempos, que ele seria um bom Rei do Mundo

tags:
publicado por Ventor às 14:07